19 de agosto de 2009

O Livro de Horas do Duque de Berry


Fólio 184, A Ascenção

O que é um livro de horas?

No final da Idade Média o clero sentiu necessidade de elaborar um livro, acessível aos leigos, que continha certos preceitos e orações utilizados pelos clérigos. De acordo com este modelo litúrgico desenvolveu-se lentamente, durante o século XIV, um livro de devoções privado, o famoso Livros de Horas.



A variação no formato e a abundância de ilustração, dos Livros de Horas não interfere com o seu idêntico esquema de concepção. Começam com um calendário elaborado exclusivamente em função das festas religiosas. Depois são escritas numerosas orações, salmos na sua maioria e que seguem o ritmo diário — as matinas, laudas, prima, tércia, sexta e nôa, as vésperas e as completas.

Com o Livro de Horas, a iluminura alcançou uma grande perfeição e um esplendor nunca antes igualado.

Les très riches heures du duc de Berry

Um dos mais conhecidos e belos Livros de Horas, foi executado, por encomenda do duque de Berry, pelos irmãos Limbourg.

Conhecido como O Príncipe dos Bibliófilos, João de França, Duque de Berry (1340-1416), filho, irmão e tio de Reis de França, não deixou boa lembrança como político e governante. Mas era um profundo apreciador das artes e possuía imensa fortuna para satisfazer os seus caprichos.

Coleccionador apaixonado de obras de arte e animais exóticos (coleccionava castelos, rubis, avestruzes...) reservava o melhor de seu entusiasmo para os Livros, principalmente os iluminados, que comprava ou mandava copiar e ornamentar, ele próprio orientava todas as fases do trabalho, já que dominava os segredos do ofício e era homem de gosto apurado.

Reunindo ao seu redor os artistas mais conceituados da época, conseguiu formar as mais belas colecções particulares de manuscritos de todos os tempos, que incluía nada menos que 15 Livros de Horas, 14 Bíblias, 16 saltérios, 18 breviários e 6 missais.

Os Iluminadores

As Riquíssimas Horas foram pintadas pelos três irmãos Limbourg — Paul, Hermann e Jean, artistas flamengos contratados pelo duque de Berry por volta de 1405.

Os Limbourg utilizaram uma grande variedade de cores obtidas através de minerais, plantas ou produtos químicos, misturados com uma cola especial que ligava a tinta. Entre as cores fora do comum que utilizaram estão o verde íris e o azul ultramarino, feito de lapis-lazuli triturado. Esta cor era usada para representar os azuis brilhantes.
Os detalhes extremamente precisos são característicos do estilo dos Limbourg, que exigia lupas e pincéis finíssimos.




Iluminuras Os Meses do ano



Janeiro


Fevereiro


Março


Abril


Maio


Junho


Julho


Agosto


Setembro


Outubro


Novembro


Dezembro

Fonte: Escritório do Livro

11 comentários:

  1. Maravilha! Adorei seu post uma ótima matéria.
    Abraços forte

    ResponderEliminar
  2. Lindo, indefectível, simplesmente perfeito.

    ResponderEliminar
  3. Luísa, amiga, parabéns por mais essa postagem incrível.

    Beijos

    ResponderEliminar
  4. Suadações!
    AMIGA LUÍSA,
    Que Post Fascinante!
    Devo lhe confessar que não conhecia essa história, e nada sobre o Duque de Berry. Fiquei encantado com o riquísissimo histórico!
    Parabéns pelo excelente Post!
    Abraços!
    LISON.

    ResponderEliminar
  5. As gravuras são lindíssimas. O azul é o azul dos sonhos, impossível de ser visto na realidade.

    Me lembra a popularização das escrituras sagradas através dos viteaux e afrescos nas igrejas antigas.

    ResponderEliminar
  6. A idade média é fascinante, mas os erros da igreja católica são assustadores e terríveis, Se me recordo acho que eles já fizeram uma autocrítica. bj

    ResponderEliminar
  7. Luísa,

    Essas pinturas com os meses do ano são simplesmente fantásticas, e a história que nos passa é uma preciosidade.

    Confesso que não conhecia sobre o Livro das Horas, mas adorei conhecer.

    Parabéns pela postagem.

    Bjs.

    Rosana.

    ResponderEliminar
  8. Fascinante Luísa!
    Adorei a matéria. Não conhecia o assunto e adorei.
    Acho muito interessante as pinturas medievais, especialmente pelas cores.
    Parabéns pelo belíssimo texto e assunto amiga.
    Beijo no coração, Fernandez.

    ResponderEliminar
  9. Oi, Luísa, adorei tudo - a história e as ilustrações de um colorido muito agradável aos olhos.
    Matéria muito curiosa mesmo.
    Um abraço.
    João

    ResponderEliminar
  10. Luísa mas que matéria estupenda! Maravilhosa! Eu fiquei encantada com a informação e as ilustrações.
    Eu não conhecia isso!
    Beijocas

    ResponderEliminar
  11. Que legal Luisa, confesso que nunca tinha ouvido falar sobre esse lIvro de Horas, adorei as imagens também, as de fevereiro que é mês de meu niver principalmente.
    BEijos no coração
    Parabéns pelo post.
    Márcia Canêdo

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...